Bem-vindo

O Departamento de Eletrónica Industrial (DEI) da Escola de Engenharia da Universidade do Minho desenvolve atividades no ensino, na investigação e na prestação de serviços à comunidade.

Tem como principais projetos de ensino as Licenciaturas e Mestrados em Engenharia Eletrónica Industrial e Computadores, Engenharia de Telecomunicações e Informática, Engenharia Biomédica e Engenharia Física.

O DEI privilegia as seguintes áreas de investigação: Controlo, Automação e Robótica; Eletrónica e Instrumentação; Eletrónica de Potência e Actuadores; Informática Industrial e Telecomunicações.

O departamento possui instalações nos dois pólos da Universidade do Minho, em Braga e Guimarães.

Licenciatura em Engenharia Eletrónica Industrial e Computadores (LEEIC):

A LEEIC tem a duração de 3 anos e apresenta, para além da formação base de Engenharia, componentes muito fortes nas áreas da Eletrónica e da Informática. Tem como principal característica diferenciadora uma elevada componente prática, desde o 1º ano, com trabalhos laboratoriais que envolvem os conhecimentos adquiridos nas diversas unidades curriculares de cada semestre.

Ao longo do curso são realizados diversos projetos individuais e em grupo, envolvendo conhecimentos multidisciplinares, que desenvolvem a criatividade e competências dos alunos na procura de soluções inovadoras para problemas de Engenharia.

O elemento diferenciador da LEEIC face aos cursos similares é a junção muito coerente de áreas, para corresponder às necessidades do mercado, da investigação e da sociedade.

Ver detalhes

De acordo com as estatísticas da DGEG a taxa de desemprego é de apenas 0,9%

 

Algumas empresas que empregam ex-alunos da LEEIC são:

Em Portugal: Accenture, Altice Labs, Altran, Anacom, Aptiv, BorgWarner, Bosch, Bresimar Automação, CCG, CEiiA, Celfocus, Continental, CreativeSystems, Critical Hardware, Critical Materials, Critical Software, Dellent Consulting, Delphi, Displax, DST, EDP, Efacec, Enercon, Enermeter, Ericsson, Ertec, Europeak Systems, Eurosportaircraft, Exva, Indra, Itec, IVV Automação, Japel, Leoni, Lusospace, KW Energia, Magnum Cap, Nanium, Nokia, Nonius, Omron, ONLY Smart Home, Orbcom, Petrotec, Philips, Pinto Brasil, Preh, Primavera, Prime Energy Solar Systems, Q-Better, Reditus, Roboplan, Roche, SAR, Siemens, Sisint, Synopsys, Tetra Pak, Vishay, WEG, Yazaki Saltano, …

Um pouco por todo o Mundo: Altran (Alemanha), Arm (Reino Unido), Aspöck Systems (Áustria), Boing (Alemanha), d-fine (Alemanha), Dyson (Reino Unido), Elite Control Systems (Reino Unido), Enclustra (Suíça), Future-Shape (Alemanha), Helvar (Reino Unido), IAV Automotive Engineering (Alemanha), Imagination Technologies (Reino Unido), McLaren Applied Technologies (Reino Unido), PFAFF Industriesysteme und Maschinen (Alemanha), Qualcomm (Reino Unido), Schultheiss (Alemanha), Swissgrid (Suíça), Tesla Motors (Holanda), Transphorm (EUA).

Ofertas Profissionais

Emprego – Ver mais

Bolsa de Investigação – Ver mais

Estágios Profissionais – Ver mais

Notícias

Testemunhos

  • Entre os 2004 e 2014, a Universidade do Minho e em especial o Departamento de Eletrónica Industrial acolheu-me no meu percurso académico resultando na realização de um mestrado (integrado) e de um doutoramento em Engenharia Eletrónica Industrial e de Computadores, várias publicações académicas, participação em conferências internacionais e desenvolvimento de diversas competências que me permitiram orientar o meu percurso profissional futuro.

    Durante a realização da tese de mestrado/doutoramento, tinha muitas dúvidas relativamente ao tópico, mas tinha uma certeza: queria trabalhar em algo que colocasse a tecnologia ao serviço do ser humano. E por isso escolhi a área da robotica na intervencao de criancas com perturbacoes do especto do autismo e tive a oportunidade de realizar vários estudos em que programei um robô humanóide com a capacidade de emular expressoes faciais e demonstrando como uma ferramenta robótica pode ser um mediador na interação social e desenvolver competências emocionais. Trabalhar na area da engenharia deu-me definitivamente ferramentas para resolver os problemas com que me deparo, desafia-me constantemente numa aprendizagem contínua e dá-me oportunidades de impactar o mundo à minha volta.

    Trabalho atualmente na Bosch como Senior Manager e Business Owner para desenvolvimento de SW na área automóvel, localizada no momento na área de Estugarda, Alemanha.“

    - Sandra Costa. Empresa: Bosch Cargo: Seniro Manager
  • É com nostalgia que escrevo sobre o curso de Engenharia em Eletrónica Industrial da Universidade do Minho. A cidade de Guimarães, a universidade, os professores e os colegas ofereceram condições ótimas para a formação de um engenheiro e de uma pessoa. A cidade é uma das mais belas do mundo e também a sua gente. No ambiente vibrante da universidade valoriza-se o conhecimento e a sociedade académica.

    O curso de Engenharia em Eletrónica Industrial tem uma base teórica vasta nos ramos da física, eletrónica, programação e engenharia que se consolida com a sua aplicação prática. Esta combinação fornece aos formandos as ferramentas para desenvolver tecnologia em várias áreas. No meu caso, senti motivação durante o curso para explorar as áreas de potência e energia, com particular interesse por veículos elétricos e fui apoiado por professores e colegas que contribuíram para a minha especialização e sucesso profissional e com quem tenho o enorme gosto de manter relação de amizade até hoje. Afirmo com confiança que um aluno motivado para aprender e crescer encontrará no curso de Engenharia em Eletrónica Industrial da Universidade do Minho uma das melhores unidades de formação do mundo.

    - Pedro Neves. Empresa: Tesla Cargo: Senior Product Support Engineer
  • O meu período como estudante de MIEEIC, compreendido entre 2008 e 2015, foi muito importante para o crescimento e desenvolvimento das minhas competências quer ao nível do conhecimento da engenharia quer ao nível pessoal.

    Admito que quando escolhi esta área muito pouco sabia acerca da eletrónica e da programação. Arrisquei numa área em que via sobretudo empregabilidade e desafio. Hoje, tenho a certeza que tomei a melhor decisão!

    Trabalho na empresa EFACEC, na Divisão de SmartGrids – uma divisão que se dedica ao desenvolvimento de soluções para a gestão e controlo das redes elétricas. Quando entrei comecei por desenvolver uma ferramenta de testes automáticos que garantisse a qualidade dos produtos. Atualmente, estendi-me também ao desenvolvimento desses mesmos produtos.

    Tenho a agradecer ao corpo docente de MIEEIC, pois o meu futuro profissional começou graças aos conhecimentos e excelentes técnicas transmitidas pelos docentes. Por isso, deixo a minha recomendação de curso a seguir!

    - Sara Araújo. Empresa: Efacec Cargo: Engenheira de Desenvolvimento
  • Refletir sobre o meu percurso no programa de MIEEIC da Universidade do Minho enche-me de um sentimento de crescimento e realização. Ao longo dos meus estudos, fui exposto a um conjunto de conhecimentos e experiências que moldaram minha trajetória profissional e meu desenvolvimento pessoal.
    Um dos aspetos mais marcantes da minha passagem pelo curso de Eng. Eletrónica Industrial foi sido a ênfase na aprendizagem interdisciplinar. O programa integra conceitos de vários domínios, promovendo uma compreensão de engenharia, eletrônica, automação e ciência da computação. Esta abordagem interdisciplinar equipou-me com um conjunto versátil de ferramentas, permitindo-me enfrentar desafios complexos.
    Apesar de ter enveredado pela microeletrónica durante o curso, tendo mesmo conseguido uma bolsa de iniciação a investigação nessa área, isso não me impediu de iniciar a minha carreira profissional como Eng. de Automação Industrial em 2008 numa empresa portuguesa, a partir de 2017 juntei-me a Continental onde trabalho atualmente como Líder da Equipe no desenvolvimento de software de suporte à manufatura.

    - Pedro Casanova Morim. Empresa: Continental Cargo: Engenheiro Automação Industrial
  • Frequentei o MIEEIC entre os anos letivos de 2009/2010 e 2014/2015, tendo-me especializado em Eletrotecnia e Sistemas de Energia e em Automação, Controlo e Robótica.
    Trabalho no Departamento de R&D Test Development na empresa NANIUM, S.A. como Product Development Engineer sendo responsável pelo desenvolvimento, design e teste de produto na área da Internet of Things (IoT).
    A escolha do MIEEIC como curso superior permitiu-me adquirir conhecimentos essenciais em todas as áreas da Eletrónica e ofereceu-me a oportunidade de especialização nas áreas de maior interesse para mim. A constante disponibilidade de ensinar e ajudar por parte dos professores e técnicos, a interajuda e o convívio entre colegas de curso foram também essenciais para afirmar que fazer parte do MIEEIC foi, sem dúvida, uma das decisões mais importantes e acertadas que fiz.

    - Ana Filipa Ferreira. Empresa: NANIUM Cargo: Product Development Engineer
  • O MIEEIC é, sem qualquer dúvida, o curso que melhor prepara os seus alunos para o mercado de trabalho. A qualidade dos docentes, técnicos e a forte componente prática permitem aos alunos adquirir excelentes competências para resolver qualquer desafio. Além disso, a capacidade de resolução de problemas, o trabalho de equipa e a resiliência são algumas das soft skills que os docentes se preocupam em desenvolver nos alunos.

    - Pedro Oliveira. Empresa: CEiiA Cargo: Embedded System Engineer / Team & Hardware Tech Lead
  • O gosto pelas disciplinas de Matemática e Física encaminharam a escolha da minha Licenciatura em Engenharia Eletrónica Industrial e Computadores, entre 1999 e 2004.
    Para além destes, um dos pontos influenciadores foi a vasta gama de empregabilidade que poderia obter com a licenciatura – aplicação em muitas e variadas indústrias.
    A grande componente prática e o completo programa da licenciatura foram fundamentais para o meu futuro profissional que iniciei na área da Microeletrónica e entrada no mundo dos semicondutores.
    Mais tarde, trabalhei numa multinacional de sistemas de escape automóvel (Faurecia) na industrialização de novos produtos.
    Atualmente, sou Gestora de Projetos de Industrialização na empresa de semicondutores Amkor Technology.

    - Sara Oliveira. Empresa: Amkor Technology Cargo: Gestora de Projetos de Industrialização
  • Frequentei o curso de Engenharia Electrónica Industrial e de Computadores entre 2012 e 2018, onde aprendi sobre electrónica e arquitetura de computadores. Desenvolvi um interesse especial por micro-controladores/processadores e especializei-me na área de sistemas embebidos. Concluí o meu percurso académico com uma dissertação no ‘Embedded Systems Research Group’, onde tive oportunidade de cooperar num projecto de relevância, com investigadores que, ainda hoje depois de alguns anos de experiencia na industria, são dos melhores com quem trabalhei. Todas as aprendizagens durante o curso, e especialmente no projecto de dissertação, foram preponderantes para trabalhar em duas das maiores empresas a nível mundial do mercado de semicondutores (ex-Qualcomm, atualmente Arm Ltd). Atualmente, trabalho como ‘Senior Software Engineer’ na empresa ‘Arm Ltd’, onde coopero no desenvolvimento de software para os processadores da arquitetura ARMv8A/v9A, referência no desenvolvimento de milhões de dispositivos como: smartphones, computadores pessoais, servidores… Grato por ter feito a escolha de frequentar o curso, e pelo grande suporte que obtive tanto por colegas de curso e corpo docente. Recomendo o curso a todos que tenham interesse em trabalhar com tecnologia, pela relevância da área, e também pela possibilidade de aprender com os investigadores/docentes prestigiados que leccionam na Universidade do Minho.

    - João Alves. Empresa: Arm Ltd (UK) Cargo: Senior Software Engineer
  • O curso foi muito importante na minha carreira mas queria realçar o que acho ter sido a sua maior contribuição.

    O mais importante do curso foi obrigar-me a estudar matérias “inúteis”. Sim, é verdade, coisas que eu pensava que nunca iria usar mas que nestes mais de 20 anos de carreira me ajudaram imenso. E, se houve muita coisa que não usei directam ente, sei que mesmo essas ajudaram a aumentar a minha capacidade de raciocínio lógico, mais rápido e mais prático.

    O meu percurso profissional e a empresa que fundei foram alavancados pela a abrangência de matérias a que fui exposto. Realço ainda que essa abrangência é cada vez mais importante hoje em dia e vê-se no sucesso que as full stack companies têm no mercado, como é caso da empresa que fundei: a Nonius.

    Num curso que à partida, e pelo nome parecia pouco abrangente, fiquei com excelentes bases para ser “generalista”, flexível, e com grandes competências multifuncionais.

    - Leonel Domingues. Empresa: Nonius Cargo: Diretor de Tecnologia (CTO - Chief Technology Officer) e Chairman
  • Ingressei na Universidade do Minho em 2006 no curso de Engenharia Industrial e Computadores. Obtive o grau de mestrado em 2011. O MIEEIC, mais especificamente, a especialização em Sistemas Embebidos proporcionou-me muitas oportunidades para trabalhar com excelentes orientadores, como também várias experiências no estrangeiro. Durante todo o curso, tive a oportunidade de conviver e partilhar experiências com os meus colegas e docentes com quem mantenho contacto após a vida académica. Em 2015, obtive o grau de Doutoramento que me abriu portas para outras experiências profissionais. De momento, trabalho na Suíça na empresa Enclustra. Sem dúvida, que todas competências e conhecimentos adquiridos durante o tempo que frequentei o MIEEIC foram importantes e uma mais-valia para o meu percurso profissional. Se perguntarem, sim, gostei muito do MIEEIC.

    - Tiago Gomes. Empresa: Enclustra Cargo: FPGA/SoC Development Engineer
  • Sou o Carlos Arantes e frequentei o MIEEIC entre os anos letivos 2009/2010 e 2013/2014, tendo-me especializado em Eletrónica de Potência e Automação, Controlo e Robótica. Trabalhei na Bosch Termotecnologia como Hardware Development Engineer e atualmente sou Technical Integrator no CEIIA (Centro para a Excelência e Inovação na Industria Automóvel), assumindo a responsabilidade pelos sistemas eletrónicos que o CEIIA especifica para os produtos que desenvolve.

    O MIEEIC foi extremamente importante para mim pois capacitou-me com as ferramentas e conhecimentos necessários para, a cada dia, aprender mais e ir mais longe, sobretudo na área da Eletrónica Industrial. Ter frequentado o MIEEIC foi sem dúvida alguma uma decisão acertada.

    - Carlos Arantes. Empresa: CEiiA Cargo: Technical Integrator Engineer
  • Sou o Rui Araújo e frequentei o MIEEIC entre os anos letivos de 2008/2009 a 2012/2013, no qual tirei especialização nas áreas de Eletrónica de Potência e de Microtecnologias.

    Atualmente trabalho no Grupo Petrotec no departamento de R&D (Research and Development – Investigação e Desenvolvimento) na conceção e desenvolvimento de soluções de hardware e software dos equipamentos Petrotec.

    É sem qualquer dúvida que posso afirmar que os conhecimentos adquiridos no MIEEIC têm sido um pilar fundamental no decorrer da minha atividade profissional. A componente prática que compõe parte da oferta formativa do Mestrado revelou-se uma mais-valia, porventura acima das expectativas, na medida em que, de facto, nos prepara para as situações reais com as quais nos deparamos no nosso quotidiano, enquanto engenheiro de desenvolvimento de produto.

    - Rui Araújo. Empresa: Petrotec Cargo: Engenheiro de Desenvolvimento de Produto
  • Ingressei no MIEEIC no ano 2008. No quarto ano do curso optei pelas especialidades de Sistemas Embebidos e de Eletrónica de Potência. No quinto ano do curso elaborei dissertação de mestrado no grupo de investigação de sistemas embebidos (ESRG). Na minha opinião, o curso MIEEIC da Universidade do Minho tem uma vertente prática muito forte. Como aluno, fui desafiado a resolver pequenos problemas de engenharia na forma de projetos práticos desde os primeiros meses na Universidade. Isto permitiu ter um portefólio de projetos / habilidades / tecnologias que me traz auto-confiança profissional e que acaba por ser muito atrativo para os empregadores.

    - Bohdan Arzhanov. Empresa: McLaren Cargo: Application Development Engineer Cargo Anterior: Software Developer (Bosch Car Multimedia Portugal)
  • Ingressei na Universidade do Minho em 2006 no curso de Engenharia Eletrónica Industrial e Computadores. Obtive o grau de mestrado em 2011. O curso de Eletrónica Industrial e Computadores, mais especificamente, a especialização em Sistemas Embebidos proporcionou-me muitas oportunidades para trabalhar com excelentes orientadores, como também várias experiências no estrangeiro. Durante todo o curso, tive a oportunidade de conviver e partilhar experiências com os meus colegas e docentes com quem mantenho contacto após a vida académica. Em 2015, obtive o grau de Doutoramento que me abriu portas para outras experiências profissionais. De momento, trabalho na Suíça na empresa Enclustra. Sem dúvida, que todas competências e conhecimentos adquiridos durante o tempo que frequentei o Mestrado foram importantes e uma mais valia para o meu percurso profissional.

    - Tiago Agostinho da Silva Gomes. Empresa: Enclustra GmbH (Suiça) Cargo: Senior FPGA/SoC Development Engineer
  • O Curso de Engenharia Eletrónica Industrial e de Computadores foi fundamental para o meu crescimento pessoal e profissional. Existe uma proximidade entre professor e aluno que ainda hoje é raro encontrar noutras Universidades. Frequentei o curso entre 2001 e 2006 enquanto trabalhador-estudante, o que não me impediu de ter uma vivência académica muito rica e proveitosa em todas as vertentes. Logo a partir do meu 2º ano aderi à Afonsina-Tuna de Engenharia da Universidade do Minho e simultaneamente ao grupo do Laboratório de Automação e Robótica. Participei em vários eventos nacionais e internacionais de robótica que me proporcionaram experiências únicas e me deram uma preparação inestimável.

    Os projetos e desafios constantes do curso deram-me confiança para encarar e superar qualquer desafio com perseverança, objetividade e dedicação. Criei laços de amizade para a vida com muitos dos meus colegas e professores. Com alguns deles formei uma empresa spin-off da Universidade do Minho, SAR – Soluções de Automação e Robótica que desde 2006 tem vindo a servir a indústria e a educação através da marca botnroll.com em Portugal.

    Em 2014 concluí o doutoramento em Líderes para Indústrias Tecnológicas do programa MIT-Portugal. A partir de então comecei uma nova etapa na minha carreira ao serviço da Dyson (Reino Unido), onde trabalho atualmente como Advanced Algorithms Robotics Engineer no desenvolvimento de robôs móveis autónomos.

    Dado que o conhecimento não é algo que se adquire mas antes que se constrói ao longo de toda a vida, ainda hoje mantenho a mesma atitude de aprendizagem e uma cultura de enriquecimento pessoal constante que adquiri enquanto aluno da Universidade do Minho.

    - Nino Pereira. Empresa: Dyson Cargo: Advanced Algorithms Robotics Engineer